REUTERS/Khalil Ashawi
REUTERS/Khalil Ashawi

Metade dos estudantes do mundo estão sem aulas, afirma Unesco

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura estima pelo menos 850 milhões de alunos com atividades suspensas

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 09h13

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) confirmou na manhã desta quarta-feira, 18, que metade dos alunos de todo o mundo estão sem aulas devido à pandemia do novo coronavírus

De acordo com o órgão, 102 países tiveram o funcionamento de escolas e universidades totalmente suspensos, enquanto outros 11 suspenderam parcialmente suas atividades. Ao todo, isso significa pelo menos 850 milhões de alunos sem aulas.  

Em um comunicado oficial, o órgão ainda afirmou que a pandemia tem apresentado um "desafio sem precedentes" para as áreas de educação em todo o mundo. "Isto impõe aos países desafios imensos para poder proporcionar um aprendizado ininterrupto a todas as crianças e jovens de maneira equitativa", afirmou a diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay.

Como resposta imediata ao fechamento das escolas, a Unesco criou um grupo de trabalho para proporcionar assessoria e assistência técnica aos governos, anunciou a instituição, que tem sede em Paris. O órgão também destacou que está organizando reuniões virtuais periódicas com os ministros da Educação de todo o mundo para compartilhar experiências e avaliar as necessidades prioritárias. 

Apenas no Brasil, cerca de 590 mil estudantes já tiveram aulas suspensas desde que foi descoberto o covid-19. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.