Merenda de alunos em Porto Alegre tinha veneno de rato

PORTO ALEGRE - Alunos, funcionários e professores da Escola Doutor Pacheco Prates, na zona sul de Porto Alegre, foram encaminhados ontem ao médico após constatarem que havia substâncias parecidas com veneno de rato na comida servida no almoço.

Elder Ogliari - O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2011 | 09h48

A suspeita de contaminação surgiu durante a refeição, quando algumas crianças começaram a se queixar de náuseas e dores de cabeça e abdominais. Quase ao mesmo tempo, professores perceberam a presença de granulados cor-de-rosa, semelhante a veneno para ratos, no estrogonofe que estava sendo servido.

A descoberta soou como um alarme. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Brigada Militar foram chamados imediatamente. Todas as pessoas que haviam ingerido alguma quantidade da comida, a maioria crianças, foram levadas a serviços de saúde. Pelo menos 35 delas ficaram em observação em duas unidades de pronto-atendimento. Duas crianças, com relato de desconforto maior, foram encaminhadas ao Hospital de Pronto-socorro. Os exames constataram que ninguém sofreu intoxicação grave.

A Brigada Militar isolou o refeitório e a perícia passou a tarde colhendo material para análise. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e trabalha inicialmente com as hipóteses de acidente, causado por negligência de um ou de mais funcionários, ou conduta dolosa de envenenamento.

Mais conteúdo sobre:
Versão impressa, Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.