Mensagem em site diz que São Raimundo Nonato estava 'cheia' de 'provas de redação do Enem'

Recado foi postado no domingo à noite, no portal SRN.com; coordenadora do Enem na cidade nega vazamento

Luciano Coelho, Especial para o Estadão.edu

09 Novembro 2010 | 19h19

Um recado postado no domingo, no portal de notícias sobre a cidade de São Raimundo Nonato, a 517 km de Teresina, dizia que a cidade estava cheia de "provas de redação do Enem", que teriam vazado na cidade.

 

O recado no portal SRN.com, postado depois do fim do exame, dizia: "A cidade aqui está cheia de que as provas de redação do ENEM vazaram em São Raimundo Nonato e já se tem a confirmação de que alunos foram orientados de fronte à FACAPE sobre o tema da redação e sobre como escrever!". A Facape, mencionada pelo autor da mensagem, é a Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina, cidade a 350 km de São Raimundo Nonato.

 

A responsável pela aplicação da prova do Enem em São Raimundo Nonato, Rosa Maria de Oliveira, garantiu que o tema da redação do Enem não vazou naquele município. "Nós vimos um recado num portal que dizia que estavam os alunos foram orientados de fronte à FACAPE, uma faculdade de Petrolina, sobre o tema da redação. Aqui não tem Facape", alegou Rosa Maria.

 

Os alunos de São Raimundo Nonato, porém, teriam procurado professores de cursinho pré-vestibular em Petrolina para obter orientações sobre o tema da redação, trabalho e escravidão.

 

Segundo Rosa Maria, isso é impossível. "Não tinha como os alunos de São Raimundo chegarem a Petrolina no dia da prova com essa informação. São pelo menos cinco horas de viagem", adiantou.

 

A coordenadora afirmou que em São Raimundo Nonato foram aplicadas as provas do Enem em sete escolas e todas foram supervisionadas. "Não tivemos nenhuma ocorrência, a não ser esse recado no portal."

 

 

Rosa Maria ainda não foi procurada pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público. "Ninguém me procurou para nada. Essa história de vazamento é mentira. Não tivemos problemas com lacre nos malotes ou nas provas. Tudo foi feito conforme as determinações." "Os malotes vêm pelos Correios, acompanhados pelo Exército e a PM-PI, e recebemos tudo no horário correto, os malotes foram abertos com a presença de duas testemunhas e estavam todos devidamente lacrados", enfatizou a coordenadora.

 

Na cidade, o deputado estadual Edson Ferreira (DEM), que é da região, ficou surpreso ao ser perguntado sobre os comentários da história em sua cidade."Eu nem sabia disso. Estou sabendo agora", comentou.

O professor Ananias Júnior disse que não teve nem mesmo um burburinho sobre o assunto. Ele disse que a cidade não sabe sobre essa história de um suposto vazamento do tema da redação do Enem em São Raimundo Nonato.

 

O estudante Allan Moura disse que não tem comentários sobre esse assunto em São Raimundo, pelo menos, não entre os estudantes. Por outro lado, ele disse que tem um aluno da sua escola, chamado Daniel, que mora em Petrolina. Mas não ouviu falar nada sobre vazamento da prova. "Acho que ninguém aqui está sabendo disso não. Acho melhor você ligar para os portais para saber se eles não têm informações sobre isso", sugeriu o estudante.

 

O deputado Edson Ferreira disse que manteve contato com pessoas da cidade e ninguém sabia dar informações sobre o Enem ou investigações que estivessem em andamento. "Isso é novidade pra gente. Liguei lá e ninguém sabe nada", comentou o parlamentar.

 

A reportagem procurou o portal SRN.com, mas ninguém atende ao telefone. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.