Menor evasão explica reprovação maior, diz secretaria

O aumento da taxa de reprovação no ensino médio estadual de São Paulo, com 77,4% de aprovados em 2005, contra 78,3% em 2004 e 83,6% em 1997, ocorreu porque mais estudantes estão aparecendo para assistir aula. Essa, pelo menos, é a versão da Secretaria da Educação de São Paulo. Segundo o órgão, houve redução do índice de abandono escolar, e alguns dos alunos que são reprovados podem estar entre os que antes abandonavam a escola.Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, o porcentual de estudantes freqüentando o ensino médio no Estado de São Paulo evoluiu de 49,9%, em 1999 para 67,4%, em 2004. O número de estudantes freqüentando o ensino superior também cresceu. Dados da Secretaria mostraram que 2005 foi o ano em que houve a menor taxa de aprovação no ensino médio estadual, o antigo colegial, desde 1997.As informações foram enviadas pela pasta ao TCE (Tribunal de Contas do Estado), que, além dos gastos do governo, avalia seus indicadores de gestão. O ano de 1997 foi o primeiro em que o órgão analisou a aprovação escolar. Desde então, a taxa só melhorou em 1998 e 2001.Considerando que em 2005 a rede estadual possuía 1,6 milhão de alunos matriculados, a taxa de reprovação, da ordem de 23%, significa que quase 365 mil secundaristas não foram aprovados em 2005.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2006 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.