Médicos e psicólogos debatem conceitos filosóficos na busca da saúde mental

Especialistas garantem que a filosofia é indispensável para modernizar e reparar velhos e novos conceitos da psiquiatria. Isso explica a grande procura de profissionais e as dimensões da 6.ª Conferência Internacional sobre Filosofia, Psiquiatria e Psicologia, que começa nesta quarta-feira (02) em Brasília.Até o dia 5, serão seis conferências, 12 simpósios e 45 mesas-redondas. Discutirão assuntos que vão da relação entre família e saúde mental, políticas públicas e serviços em saúde, drogas, sofrimento e lei."Várias idéias da psiquiatria e psicologia tiveram a origem na filosofia", diz o professor do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, Ileno Izidio da Costa. Ele exemplifica: "Platão lançou o conceito de saúde mental. Aristóteles, o de emoção." Ao longo dos anos, várias idéias foram incorporadas e, mais tarde, descartadas, discutidas ou modificadas.Revisão de conceitosCosta afirma que a revisão do conceito de várias doenças pode ser o primeiro passo também para a mudança e o aprimoramento tanto de técnicas de prevenção quanto de tratamento. "Com o tempo, compreendemos melhor os problemas, conseguimos retirar alguns estigmas. Fator indispensável para dar ao paciente o tratamento mais adequado."A conferência é a sexta promovida pelo Movimento Internacional PPP (filosofia, psiquiatria e psicologia). O primeiro encontro ocorreu na Espanha, em 1996.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 01h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.