PAULO LIEBERT/ESTADÃO
PAULO LIEBERT/ESTADÃO

MEC/Sesu: ensino médio demonstrou esgotamento e não contribui com fase seguinte da formação

O secretário mencionou o anúncio do novo modelo marcado para hoje e destacou a proposta de que os estudantes terão como montar parte da grade horária

Dayanne Martins Sousa, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2016 | 13h38

SÃO PAULO -  O secretário da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação, Paulo Barone, defendeu há pouco a mudança do modelo do ensino médio no Brasil. Durante evento com o setor de ensino privado em São Paulo, ele afirmou que o modelo atual "demonstrou esgotamento" e não tem contribuído para a fase seguinte da formação dos alunos, que é a universidade. 

O secretário mencionou o anúncio do novo modelo marcado para hoje e destacou a proposta de que os estudantes terão como montar parte da grade horária. "Hoje mesmo será anunciado um modelo mais flexível, baseado em algo como 50% da carga horária dedicada a atividades centrais e o restante que poderão ser escolhidas", comentou. 

"Esse novo modelo aproxima o Brasil de outros exemplos de sucesso no ensino médio", declarou Barone. Para ele, o ensino médio representa uma fase importante da vida dos jovens porque, sem  qualidade no ensino, os estudantes tendem a desistir das salas de aula e ir direto para o mercado de trabalho. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.