MEC vai mudar critérios na concessão de crédito educativo

Cursos com carência de profissionais terão prioridade; mudanças só serão válidas para novos contratos

Agência Brasil,

14 de fevereiro de 2008 | 01h31

O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou nesta quarta-feira, 13, que os critérios para as concessões de créditos do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) serão alterados. As mudanças devem ser anunciadas ainda neste mês. Segundo o ministro, alunos de cursos de áreas as quais o governo entenda que existam carências de profissionais terão prioridade na obtenção dos financiamentos. Já para as áreas consideradas saturadas, o crédito será restringido. Haddad informou que o MEC, em conjunto com os ministérios do Trabalho e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, ainda estuda quais os cursos terão mais dinheiro disponível para o crédito estudantil. "Já sabemos que todas as engenharias [cursos] vão receber mais. Direito está saturado", afirmou. O ministro informou que as mudanças só valerão para os novos contratos. "Quem tem contrato, mantém esse contrato até o final do curso". Encontro com Serra Fernando Haddad foi recebido nesta quarta-feira em audiência pelo o governador José Serra. O ministro negocia com o governo paulista a adesão do estado ao Plano de Desenvolvimento na Educação (PDE).  Os estados de São Paulo e de Minas Gerais são os únicos que ainda não firmaram parceria com o governo federal para o desenvolvimento de projetos na área de educação infantil, do ensino médio, do superior e de pós-graduação. O ministro disse, no entanto, que o diálogo com ambos os estados seguem abertos. "O esforço que o MEC faz para chegar à unanimidade é muito importante. O pacto suprapartidário sobre educação não favorece um governo, mas sim o país", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
crédito educativoEducaçãoMEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.