MEC vai mapear mercado e sugerir novos cursos

Objetivo é evitar apagão de profissionais; ensino superior terá metas até 2050

Ocimara Balmant, Especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

11 Abril 2011 | 10h31

Para que o Brasil não tenha um apagão de profissionais, o Ministério da Educação (MEC) elabora um plano de metas de expansão do ensino superior até 2050. O mapeamento completo, que deve ser finalizado no fim do ano, vai elencar as carências por região e áreas de conhecimento. A primeira parte do projeto, voltada às engenharias, deve estar pronta daqui a dois meses.

 

Além de mapear o mercado, o MEC vai sugerir novos cursos. “Chamo isso de provocação positiva”, afirma Luiz Cláudio Costa, secretário de ensino superior do MEC. Segundo Costa, é preciso, por exemplo, investir na formação de um profissional que tenha uma visão ecológica-industrial, isto é, que conheça as questões ambientais mas não desconsidere o avanço econômico. “Precisamos responder rapidamente a questões que não podem ser gargalos ao nosso desenvolvimento econômico”, diz o secretário.

 

Leia também

 

- Novas graduações sob medida para o mercado

Mais conteúdo sobre:
Ensino superior MEC Graduação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.