MEC vai distribuir a docentes aulas da Khan Academy

Os vídeos americanos que viraram febre na web servirão de apoio para os professores, embora tenham sido planejados para alunos

Lisandra Paraguassu, de O Estado de S. Paulo,

16 Janeiro 2013 | 20h56

BRASÍLIA - O Ministério da Educação (MEC) vai distribuir para professores os vídeos da Khan Academy, organização não governamental criada pelo americano Salman Khan que virou febre na internet. O material, planejado para ser usado pelos estudantes, servirá no Brasil de apoio para os professores. “Nada substitui a relação professor-aluno, mas é mais uma opção que o professor tem para ver boas aulas, práticas bem-sucedidas”, disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

 

A intenção é colocar as aulas oferecidas pela Khan Academy nos tablets entregues aos professores neste ano e também no Portal do Professor, um site com material auxiliar para as aulas, assim como na TV Escola. Mas o material não foi criado para ser usado em sala de aula. Nesta quarta-feira, 16, em um seminário sobre educação digital no MEC, Khan disse que as aulas funcionam porque respeitam o ritmo dos alunos, de modo que podem repetir as aulas quando quiserem. Para ele, o método não funcionaria se usado em apresentações nas salas. “O principal valor é o estudante poder estudar no seu próprio ritmo e depois usar a aula para interação com o professor.”

 

O material da Khan Academy já está sendo usado em dez escolas de São Paulo e Santo André em um projeto da Fundação Lemann que traduziu cerca de 400 vídeos. O projeto, com 1.225 alunos, atingirá 6 mil estudantes neste ano.

 

 

O ministro também anunciou que pretende criar neste ano um portal com vídeos de aulas e seminários de cursos de graduação e pós-graduação das universidades federais brasileiras. O projeto, batizado de Universidade Livre do Brasil, deve atender estudantes e a população em geral.

Mais conteúdo sobre:
Educação Salman Khan Khan Academy

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.