MEC quer eleições diretas em universidades particulares

A proposta de reforma universitária do MEC prevê a eleição direta de reitores não apenas nas universidades públicas, mas nas particulares. A idéia foi apresentada nesta quarta-feira pelo ministro Tarso Genro a 47 reitores da Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).O ministro defendeu também a criação de um fundo de financiamento das universidades federais, com repasses diretos, ou seja, sem o risco de contingenciamentos pela área econômica, como ocorre hoje.O MEC quer também regulamentar o funcionamento das fundações universitárias e pretende criar, em três anos, duas instituições de pós-graduação nas áreas de artes audiovisuais, com ênfase em cinema e vídeo e geopolítica e defesa.Proposta fechadaEssa foi a primeira vez que Tarso apresentou propostas em nome do ministério. Até agora, ele vinha atuando como magistrado, apenas promovendo o debate e recolhendo sugestões. Até o dia 24, o ministro promete divulgar 12 pontos da reforma pretendida pelo governo.As posições do MEC serão então discutidas com os meios acadêmicos e empresariais. Um projeto de Lei Orgânica do Ensino Superior deverá ser enviado ao Congresso em novembro.

Agencia Estado,

13 de maio de 2004 | 01h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.