MEC investe na renovação da engenharia

Os cursos de pós-graduação da área de engenharia cresceram nos últimos dez anos uma média de 7,5%. Em 1996, o País tinha 126 cursos de mestrado e 61 de doutorado. Em 2006, são 229 de mestrado e 132 de doutorado. O Brasil possui 18 mil estudantes de mestrado e doutorado só nesta área, mas o número de engenheiros de alta qualificação ainda não é suficiente para atender à demanda do setor produtivo do País. A informação foi dada pelo presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Jorge Guimarães, durante o lançamento do Programa Inova Engenharia. A ação foi lançada nesta terça-feira em Brasília, em uma cerimônia na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para Guimarães, a iniciativa é essencial porque o investimento na engenharia significa colocar o Brasil na competição científica, tecnológica e de inovação com países como Índia, China e Coréia do Sul. "A Capes já colocou a engenharia como uma área prioritária", afirmou.A elaboração do Inova Engenharia reuniu 17 instituições e órgãos do governo federal.A Capes financia 418 bolsistas da área de engenharia no exterior. Em 2005, a agência assinou convênios de cooperação internacional com instituições de excelência estrangeiras para a formação de profissionais de alta qualificação nas áreas das engenharias. Na Itália, firmou parceria com o Instituto Politécnico de Turim, uma das instituições de referência na Europa em estudos nas áreas das engenharias e arquitetura. O edital para candidatos a doutorado e pós-doutorado está aberto para financiar a ida dos estudantes. Mais informações no site da Capes.

Agencia Estado,

01 de junho de 2006 | 17h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.