Taba Benedicto/Estadão
Taba Benedicto/Estadão

Cronograma do novo ensino médio dá ao MEC mais tempo para definir avaliações; leia análise

Redes e escolas começarão a implementar o novo ensino médio em 2022 sem definições muito claras sobre como os estudantes serão avaliados pelo governo federal ao final da etapa

Carlos Lordelo*, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2021 | 14h00

As redes e escolas começarão a implementar o novo ensino médio em 2022 sem definições muito claras sobre como os estudantes serão avaliados pelo governo federal ao final da etapa. De acordo com o cronograma divulgado na quarta-feira, 14, pelo Ministério da Educação (MEC), a elaboração das matrizes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terminará no ano que vem, enquanto que as do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) só ficarão prontas em 2024. Estas novas matrizes darão o norte para a construção de provas alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ao novo ensino médio.

O alinhamento é essencial para induzir a implementação e verificar se os estudantes desenvolveram as aprendizagens a que têm direito, definidas na BNCC. As definições sobre as avaliações dos itinerários formativos são particularmente sensíveis, pois poderão ter consequências sobre os arranjos curriculares oferecidos.

Se o Enem é o grande vestibular nacional, utilizado no processo seletivo de instituições de ensino superior públicas e privadas, as notas do Saeb apontam como está a aprendizagem nas redes e escolas e com- põem o principal indicador educacional do País, o Ideb. Quanto mais informações as redes e escolas tiverem sobre o futuro dessas provas, melhor vão poder desenhar e implementar os novos currículos, formar os profissionais da educação e selecionar materiais didáticos.

*COORDENADOR DE ENSINO MÉDIO DO MOVIMENTO PELA BASE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.