MEC elimina 65 candidatos por uso de celulares no Enem

O número já é superior ao registrado em todo o final de semana de provas de 2013, quando 47 pessoas foram eliminadas – 24 no 1º dia

Estadão.edu

08 de novembro de 2014 | 20h51

No primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 65 candidatos foram eliminados por uso indevido de telefones celulares, segundo balanço parcial do Ministério da Educação (MEC). O número já é superior ao registrado em todo o final de semana de provas da edição passada, quando 47 pessoas foram eliminadas – 24 no primeiro dia. 

A novidade no esquema de segurança do MEC neste ano foi o uso de cerca de 17 mil detectores de metal para identificar irregularidades. Segundo candidatos ouvidos pelo Estado, o detector foi usado nas portas dos banheiros dos locais de prova para evitar comunicação externa. “Na minha sala, um celular tocou e o rapaz foi desclassificado”, contou o cabeleireiro Kelvin Márcio, de 21 anos, que fez a prova na Faculdade Anhanguera, na Vila Maria, zona norte. 

O MEC também monitora as redes sociais em busca de selfies ou fotos vazadas dos cadernos de prova. Na manhã de ontem, antes do início do exame, um vídeo circulou na internet com imagens do suposto caderno de prova do Enem. No fim da manhã, o MEC informou que o material era falso. Ainda segundo a pasta, a Polícia Federal vai investigar os responsáveis pelas postagens e não houve registro de outras irregularidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Fuvest 2020: Veja os locais de prova da primeira fase do vestibular
  • Redações da Fuvest: Estadão Acervo levantou o temas de cada redação do exame desde 1977
  • Medicina na USP tem disputa de 129 candidatos por vaga; veja relação
  • Conheça práticas ilegais comuns na matrícula e nas mensalidades de escolas e faculdades
  • Primeira fase da Fuvest: ouça as dicas dos especialistas no podcast ‘Se Liga no Vestibular

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.