Filipe Araujo/AE 16.02.2009
Filipe Araujo/AE 16.02.2009

MEC deveria verificar cursos com poucos alunos, diz especialista

Para ex-presidente do Inep, ministério têm recursos para verificar in loco faculdades com poucos inscritos no Enade

Cedê Silva, Especial para o Estadão.edu

02 Março 2012 | 17h56

SÃO PAULO - Para evitar que universidades selecionem alunos com o objetivo de turbinar as notas no Enade, comissões do MEC deveriam inspecionar in loco as instituições nas quais o número dos que fizeram a prova é muito pequeno em relação aos de matriculados. A opinião é de Maria Helena Guimarães, integrante do Conselho Estadual de Educação e ex-presidente do Inep (1995-2002). "O MEC tem o cadastro de todas as unidades e sabe quantos alunos estão cursando o último ano", afirma ela. "Depois de sair o resultado do Enade, poderia investigar as turmas nas quais poucos fizeram a prova".

Nesta sexta-feira, o Estadão.edu revelou que o MEC enviou ofício à Unip cobrando, no prazo de dez dias, explicações sobre indícios de irregularidades nas notas do Enade. Quarta maior universidade do País, com 200 mil estudantes, a Unip é acusada de selecionar apenas os melhores alunos para fazer o a prova: quanto menor o número de inscritos no exame, melhor é o desempenho da instituição.

Mais conteúdo sobre:
Unip Enade MEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.