MEC criará Escola de Altos Estudos para pós-graduação

O Ministério da Educação vai criar uma Escola de Altos Estudos para trazer pesquisadores de alto nível ao Brasil, para participar de programas de mestrado e doutorado. A escola, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), organizará cursos de curta duração com grandes especialistas e que valerão créditos para os cursos de pós-graduação. De acordo com o ministro da Educação, Fernando Haddad, as instituições de pós-graduação com cursos avaliados pela Capes com nota acima de cinco, públicas ou privadas, poderão apresentar projetos para trazer os pesquisadores. Se aprovado, o projeto será financiado pela Capes e valerá créditos para os estudantes em seus cursos de mestrado e doutorado. Outras instituições também poderão participar do mesmo curso, desde que apresentem uma proposta e um professor que faça a avaliação dos seus alunos. Nesse caso, as aulas poderão ser presenciais ou através de ensino a distância. "Já em 2007 teremos recursos para trazer 20 grandes nomes. Para este ano,vamos ver o que será possível", disse o ministro. O governo federal também envia ao Congresso a proposta de criação das últimas duas universidades do programa de expansão das instituições federais de ensino superior. São elas a criação da Universidade do Pampa, no Rio Grande do Sul, e a transformação da faculdade de medicina de Porto Alegre em uma universidade. Também serão enviados os projetos de criação de nove escolas técnicas e agrotécnicas. A universidade do Pampa começa as aulas em agosto deste ano com 14 cursos, incluindo licenciaturas, agronomia e zootecnia, e com campus em 10 municípios. Por enquanto, antes do projeto de lei que cria a universidade ser aprovado pelo Congresso, a UniPampa ficará ligada às universidades federais de Pelotas e Santa Maria. A faculdade de medicina da Porto Alegre passará a ter, com a transformação em universidade, cinco novos cursos: Enfermagem, Fisioterapia, Psicologia, Fonoaudiologia e licenciatura em Biologia. As novas escolas técnicas serão criadas nos Estados do Amapá, Acre, Mato Grosso do Sul e Rondônia, que até hoje não tem nenhuma escola federal. Outra escola técnica será feita em Caxias (RS). Quatro agrotécnicas serão criadas no Distrito Federal, em Marabá (PA), Nova Andradina (MS) e São Raimundo das Mangabeiras (MA). No total, o governo pretende criar 32 novas escolas técnicas no País, sendo 25 até o final deste ano.

Agencia Estado,

07 de junho de 2006 | 19h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.