MEC classifica sexualidade como tema transversal

Ministério não impõe um modelo de ensino e dá autonomia aos Estados e municípios

Mariana Mandelli, O Estado de S. Paulo

03 de maio de 2010 | 10h59

A sexualidade é classificada como tema transversal pelo Ministério da Educação e consta nos parâmetros curriculares nacionais, que são as diretrizes para os conteúdos ensinados nas escolas. Por ser um assunto complexo, o MEC não impõe um modelo de ensino e dá autonomia aos Estados e municípios, que podem criar aulas específicas ou incorporar o conteúdo às grades.

 

Na rede estadual de São Paulo, a educação sexual é abordada nas discussões sobre saúde nas aulas de ciências e biologia. “Temas como a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e da gravidez precoce são muito discutidos”, afirma Eleuza Guazzelli, da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas.

 

A rede municipal paulistana também trabalha o assunto com a Secretaria da Saúde. Há parceria entre as pastas para criar materiais de conscientização. Além disso, os médicos do programa ‘Aprendendo com Saúde’ orientam os alunos nas escolas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.