MEC aponta 55 cursos de pós-graduação ruins

O Ministério da Educação deverá descredenciar 55 cursos de pós-graduação que tiveram os piores resultados na avaliação trienal encerrada na semana passada. Os cursos, de diversas áreas, conseguiram notas 1 e 2 - equivalente a ruim e muito ruim - e representam 3% dos 1.819 programas avaliados. A maioria dos programas (64%) pode ser considerada regular e boa. Os excelentes são 11%.O MEC recusa-se a divulgar quais são as instituições com problemas, com programas considerados ruins. "Elas têm o direito legal de recorrer. Seria leviandade expor o nome de um curso que pode ser melhor do que foi avaliado", justifica o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (Capes), Jorge Guimarães. As instituições tem 30 dias para recorrer e a Capes outros 30 para responder.De acordo com o presidente da Capes, as instituições vão receber uma aviso de que não devem abrir processo seletivo para os seus programas até a decisão final. No entanto, não há uma proibição legal. "Mas a maioria das seleções acontece em dezembro e janeiro. Estou tranqüilo que não haverá problemas", afirmou.Guimarães também acredita que pouca gente será afetada pela não divulgação imediata dos cursos ruins, pois os programas mal avaliados representam apenas 3% do total de cursos. Em 2001, quando foi feita a última avaliação, esses programas representavam 4,5%.Mais cursos bonsO número de programas com a melhores avaliações também cresceu, passando de 9,4% do total para 11%. São, hoje, 197 cursos com notas 6 e 7 que, segundo a Capes, os colocam em nível de igualdade com programas estrangeiros. Desses, 94,4% estão concentrados nas regiões Sul e Sudeste - onde estão, no geral, a maior parte dos cursos de mestrado e doutorado no País.Somadas, as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste têm apenas 11 cursos com as notas mais altas, quatro deles na Universidade de Brasília. Segundo o ministro da Educação, Tarso Genro, em breve será anunciada também a criação de dois novos programas de pós-graduação no País. Um em cinema e vídeo, o outro em geopolítica e defesa. "São setores de grande importância econômica e cultural para o País e fazem parte de uma visão de projeto nacional que temos", afirmou o ministro.Veja a lista dos cursos de pós graduação que receberam nota 7, conceito mais alto da Capes Cursos e Universidades Ciências Agrárias: Engenharia de Alimentos Unicamp. Ciências dos Alimentos USP. Genética e Melhoramento UFV. Agronomia USP. Ciência Animal UFMG. Ciências Veterinárias UFRRJ. Zootecnia UFV. Zootecnia Unesp. Ciências Biológicas: Genética e Biologia Molecular Unicamp. Bioquímica e Imunologia UFMG. Fisiologia e Farmacologia UFMG. Bioquímica UFRGS. Biofísica UFRJ. Ciências Morfológicas UFRJ. Química Biológica UFRJ. Biologia Molecular Unifesp. Bioquímica USP. Farmacologia USP. Microbiologia e imunologia Unifesp. Imunologia USP. Imunologia básica e aplicada USP. Ciências da Saúde: Oncologia FAP. Neurologia USP. Patologia Bucal USP. Ciências Exatas e da Terra: Física UFMG. Física UFPE. Física UFRGS. Física UFRJ. Física Unicamp. Astronomia USP. Física USP. Física USP. Informática PUC-RJ. Geociências UFRGS. Geoquímica e geotectônica USP. Matemática Impa Matemática Unicamp. Química UfScar. Química Unicamp. Fisico-química USP. Antropologia Social UFRJ. Antropologia UnB. Ciências Humanas: Teologia EST-RS. História UFF. História Unicamp. História Social USP. Psicologia experimental USP. Psicobiologia USP. Sociologia Iuperj. Sociologia USP. Ciências Sociais Aplicadas: Economia FGV-RJ. Engenharias: Engenharia Civil PUC-RIO. Engenharia Civil UFRJ. Engenharia Hidráulica e saneamento USP. Engenharia Metalúrgica e de Minas UFMG. Engenharia Química UFRJ. Ciência e Engenharia de Materiais UFScar. Engenharia Elétrica UFRJ. Língüística, Letras e Artes: Estudos Literários UFMG. Língüística USP. A avaliação dos demais programas pode ser encontrada na página da Capes: http://www.capes.gov.br/Documentos/Avaliacao2004/Avaliacao2004_FINAL.xls

Agencia Estado,

04 de outubro de 2004 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.