MEC aperta os critérios para o censo da educação superior

Universidades terão de registrar o número de alunos e de professores com nome, sobrenome e um documento

Renata Cafardo, de O Estado de S. Paulo,

02 de fevereiro de 2009 | 16h34

O censo da Educação Superior realizado pelo Ministério da Educação (MEC) vai mudar a partir deste ano. Segundo o presidente do Instituto de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, as universidades agora terão de registrar seus dados - como número de alunos e de professores - com nome, sobrenome e um documento. Até hoje, as instituições mandavam apenas a quantidade de seus estudantes, sem necessidade de comprovação.  "Os números vão ficar bem mais precisos. Hoje a instituição diz que tem três alunos, por exemplo, não tem como checar", diz Fernandes. O sistema será o mesmo que já está sendo usado no Censo da Educação Básica, chamado de Educacenso. Todos os dados são enviados pela internet.  Segundo Fernandes, o censo será agora também divulgado no mesmo ano em que os dados forem coletados. O levantamento que está sendo liberado hoje pelo MEC, por exemplo, contém informações de 2007. "Neste ano, vamos fazer dois censos, o de 2008, pelo método antigo, e o de 2009, pelo novo." Os dados do censo 2007 mostram que o Brasil tinha 4,8 milhões de alunos no ensino superior. Havia 2.281 instituições, entre faculdades, universidades e centros universitários, 11 a mais que no ano anterior. Leia reportagem completa na edição desta terça-feira de O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.