Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

MEC abrirá 7 escolas técnicas federais

Depois de suspender 105 convênios do Programa de Expansão da Educação Profissional (Proep) assinados no fim do governo Fernando Henrique Cardoso, o Ministério da Educação está retomando 45 projetos e abrirá cursos técnicos e alguns de nível superior em 22 Estados.Sete projetos prevêem a criação de escolas públicas federais em São Paulo, Rio, Minas, Espírito Santo, Goiás, Paraíba e Piauí. Os demais convênios são 24 parcerias com governos estaduais e 14 com instituições privadas, por meio de fundações.O projeto federal em São Paulo será uma unidade descentralizada do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) de Sertãozinho, com a construção de uma escola com capacidade para mil alunos em cursos técnicos de gestão empresarial, mecânica e automação. As vagas serão abertas até 2006.Para os dois anos seguintes, o projeto prevê cursos técnicos e de nível superior nas áreas de açúcar e álcool. O investimento do MEC em Sertãozinho será de R$ 2,7 milhões.A única das sete novas escolas federais numa capital será no Rio, em Realengo, na zona oeste. Será construído um prédio para abrigar cursos técnicos de farmácia, segurança do trabalho hospitalar, biomedicina e enfermagem e de graduação em microbiologia.Segundo o diretor-geral do Cefet de Química de Nilópolis, Luiz Edmundo Vargas de Aguiar, responsável pelo projeto e pela coordenação da unidade, a escola terá capacidade para mil alunos. O MEC comprometeu-se a investir R$ 2,7 milhões na construção e abrir o concurso para professores. A verba foi diminuída em R$ 800 mil em relação ao convênio anterior."Está tudo certo, espero iniciar a licitação em agosto. A construção do prédio deve durar sete meses e no segundo semestre do ano que vem espero iniciar as aulas. Mas só ponho a unidade para funcionar com professores e outros funcionários", diz Aguiar, presidente do Conselho Nacional de Dirigentes de Cefets - são 34 deles no País, com 120 unidades e 120 mil alunos.Com a reativação dos projetos, o MEC promete repassar este ano R$ 25 milhões para as criação das escolas. No caso das iniciativas particulares, metade das vagas será gratuita.O ministério justificou a suspensão dos convênios assinados em 2002 pela "necessidade de reavaliação da metodologia e dos critérios de aprovação das propostas e também por contenção orçamentária"."Cancelamos porque não houve orçamento. Fizemos então um estudo detalhado de caráter técnico para retomar parte dos projetos, levando em conta a relevância, o impacto social, a sustentabilidade", diz Valéria Duarte de Souza, chefe de gabinete do Proep.As outras unidades federais serão em Cachoeiro do Itapemirim (ES), Morrinhos (GO), Divinópolis (MG), Souza (PB) e Bom Jesus (PI).

Agencia Estado,

27 de julho de 2004 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.