Matrículas no ensino superior cresceram apenas 4,4% em 2012

Em 2011, crescimento foi maior: 5,6%; censo da Educação Superior 2012 foi divulgado nesta terça-feira, 17, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante

17 Setembro 2013 | 17h49

Em 2012, foram feitas 7.037.688 matrículas em cursos de graduação no Brasil, segundo o  Censo da Educação Superior 2012, divulgado nesta terça-feira, 17, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante.  Em 2012 houve um aumento de 4,4%, enquanto em 2011 o aumento foi de 5,7%. Nos últimos 10 anos, o número de matrículas dobraram, passando de 3,5 para 7 milhões de alunos.

No período 2011 a 2012, as matrículas cresceram 4,6% nos cursos de bacharelado, 0,8% nos cursos de licenciatura e 8,5% nos cursos tecnológicos. Os cursos de bacharelado têm uma participação de 67,1% nas matrículas, enquanto os cursos de licenciatura e tecnológicos participam com 19,5% e 13,5%, respectivamente. Só as instituições de ensino superior privadas têm uma participação de 73% no total de matrículas de graduação.

Distância. As matrículas cresceram 3,1% nos cursos presenciais e 12,2% nos cursos a distância. Os cursos a distância contam com uma participação superior a 15% na matrícula de graduação enquanto os presenciais, 84,2%.

Particular. O Censo da Educação Superior 2012 divulgado nesta terça revelou também que São Paulo é o Estado em que há mais matriculados na rede particular que na pública: são mais de 5 alunos na rede privada para cada aluno na pública. Na outra ponta está a Paraíba, com razão de matrículas em instituição privada em comparação com pública de 0,66.

Das 2.416 instituições de educação superior do Brasil, apenas 8% são Universidades, mas elas detêm mais de 54% dos alunos. Por outro lado, as faculdades têm uma participação superior a 84%, mas atendem pouco menos de 29% dos alunos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.