Material escolar grátis para escolas estaduais

Os alunos das escolas estaduais de São Paulo vão começar o ano letivo com uma novidade: todos os estudantes vão receber um kit de material escolar gratuito. Os detalhes sobre o kit, que será composto por caderno, lápis, caneta, borracha e possivelmente outros materiais, serão divulgados hoje pelo governador Geraldo Alckmin e pelo secretário Estadual da Educação, Gabriel Chalita. Mas ontem, em visita à São Paulo Fashion Week, o secretário já garantiu que o material será para todos os cerca de 6 milhões de alunos da rede. Ele adiantou também que os estudantes vão receber os itens a partir do primeiro dia de aulas, que começam em 13 de fevereiro. "É uma ajuda para todos os alunos, porque queremos reforçar o estudo", comentou Chalita. Segundo ele, o acréscimo do material escolar faz parte do programa Escola em Tempo Integral, lançado em dezembro. O programa prevê ensino das 7h às 16h em mais de 400 escolas no Estado - 60 delas só na Capital. O secretário disse ainda que, por conta do ensino integral, até a merenda será ampliada - serão oferecidas três refeições durante o período. Chalita não quis comentar sobre a coincidência de o material passar a ser distribuído em pleno ano eleitoral. O secretário voltou a afirmar que vai trabalhar na campanha de Geraldo Alckmin, caso ele seja o candidato do PSDB na disputa pela Presidência, e que quer ocupar um ministério. Segundo a secretaria, o material escolar já era distribuído aos alunos carentes, que tinham de solicitá-lo. No entanto, o órgão não forneceu números de quantos estudantes eram beneficiados com a entrega e também não informou que materiais compunham o kit. Até agora, apenas a Prefeitura oferecia o material escolar a todos os seus 1,2 milhão de alunos - com mochila, cadernos, canetas, lápis de cor, giz de cera, borracha, apontador, cola, tesoura e agenda. Além disso, o município ainda dá o uniforme. A distribuição destes itens na rede municipal começou na gestão Marta Suplicy e foi usada por ela durante campanha para as eleições em 2004, para atacar o PSDB. Marta disse, em setembro daquele ano, durante horário eleitoral: "o candidato Serra, que é do mesmo partido do governador, em vez de ficar me criticando, não teria primeiro que explicar por que as escolas estaduais, administradas pelo partido dele há dez anos, não oferecem uniforme, nem material escolar, nem transporte?".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.