Material do Enade sem lacre não era sigiloso, diz empresa

O consórcio Consulplan, responsável pela prova, diz que não houve irregularidade no transporte do material

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

21 Outubro 2009 | 15h25

 O consórcio Consulplan, responsável pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes do Ensino Superior (Enade), afirmou em nota nesta quarta-feira, 21, que não existe irregularidades na falta de lacre constatada em quatro caixas que estavam sendo transportadas em uma caminhonete, no Rio. 

 

MEC afirma que provas do Enade não foram violadas

 

O veículo foi abordado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante uma inspeção de rotina na BR-040, em Três Rios, no sul fluminense.  De acordo com a Consulplan, "as caixas contendo as folhas da resposta estavam abrigadas na caçamba do veículo e não se constituem em material de sigilo." 

 

A empresa afirmou ainda que as quatro caixas contendo 400 provas para deficientes visuais estavam lacradas e na cabine da caminhonete. Além disso, o diagramador das provas estava no carro e acompanhava o transporte do material. 

 

As provas foram impressas na cidade de Barueri, na Grande São Paulo, e, na noite de terça-feira, 20, foram levadas para um cofre da Consulplan na sede da empresa, em Muriaé, em Minas. De acordo com a companhia, não houve vazamento do conteúdo.  

 

A prova do Enade está marcada para o dia 8 de novembro, às 13 horas. Participam do Enade 2009 estudantes do final do primeiro ano de curso e do último ano de curso das áreas selecionadas.  A prova é usada pelo MEC para avaliar a qualidade dos cursos.

Mais conteúdo sobre:
enade mec

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.