Divulgação
Divulgação

Matemático brasileiro leva prêmio de R$ 1,3 mi

Cientistas de outros países também serão homenageados por fundação ítalo-suíça

AP

08 Setembro 2010 | 13h15

O matemático brasileiro Jacob Palis, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e pesquisador do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), receberá o Prêmio Balzan por sua carreira acadêmica. O anúncio foi feito na segunda-feira, 6, na Itália.

 

Veja também:

Professor de Matemática da PUC-Rio fala sobre o que queria saber aos 21

 

Ao lado do brasileiro, um japonês, um italiano e um alemão também receberão a homenagem que, além das honras, inclui um prêmio, para cada pesquisador, de 750 mil francos suíços, o equivalente a R$ 1,3 milhão.

 

A Fundação Balzan, que concede o prêmio, foi criada pela família do jornalista italiano Eugenio Balzan, que fugiu da Itália para Suíça em 1930 para escapar do cerco fascista à mídia. Hoje, a instituição tem sedes em Milão e Zurique, mas a premiação costuma ocorrer em Roma.

 

A cada ano, o prêmio é concedido a diferentes áreas. Este ano, a Fundação premiou o estudo do teatro, a história europeia, a biologia e a matemática. Em 2011 os temas serão a história antiga, estudos do iluminismo, biologia teórica e cosmologia.

 

A iniciativa tem o objetivo de reconhecer e estimular áreas emergentes da pesquisa científica ou colocar em evidência campos de pesquisa que ainda não recebem tanta atenção.

 

Palis recebeu a homenagem graças às suas contribuições à teoria de sistemas dinâmicos, campo de estudo matemático relacionado à teoria do caos, uma linha de pensamento que procura entender sistemas complexos e mutáveis.

 

Outros prêmios

 

Na Biologia, o ganhador foi o pesquisador japonês Shinya Yamanaka que descobriu uma forma de transformar células adultas em células-tronco embrionárias, um processo que poderá ajudar a tratar problemas como lesões na medula espinhal ou enfermidades degenerativas, como Parkinson ou doença de Alzheimer.

 

Yamanaka - que trabalha no Instituto de Ciências Integradas da Universidade Kyoto, no Japão, e no Laboratório Gladstone da Universidade da Califórnia, em São Francisco - utilizou suas descobertas para tratar lesões na coluna de camundongos.

 

Até agora, a técnica ainda não foi aplicada em humanos, afirma Nicole Le Douarin, professora do College de France, presente na divulgação dos premiados.

O processo permite que células diferenciadas - como as células do rim ou os neurônios, por exemplo - possam recuperar características de células-tronco embrionárias, oferecendo uma alternativa ao uso controverso de embriões humanos em pesquisas científicas.

 

Além dos dois prêmios destinados às pesquisas nas ciências naturais, outros dois foram destinados aos estudos em ciências humanas.

 

O historiador italiano, Carlo Ginzburg, pai da micro-história, estudo do passado a partir de um olhar sobre os detalhes cotidianos, recebeu uma das homenagens pelas suas contribuições à compreensão da vida das pessoas comuns na Europa.

 

Professor na Universidade Scuola Normale Superior de Pisa, ele é mais conhecido pelo livro O queijo e os vermes: o cosmo de um moleiro do século 16, baseado em documentos da Inquisição italiana sobre um herege chamado Menocchio. No anúncio do prêmio, ele é elogiado pela “excepcional combinação de imaginação, precisão científica e talento literário” usados para relatar as crenças e valores de pessoas comuns na Europa durante o início da modernidade.

 

O alemão Manfred Bauneck, da Universidade de Hamburg, recebeu o prêmio pela sua análise histórica do teatro europeu nos últimos 2,5 mil anos e pela sua pesquisa sobre as tendências do teatro mundial.

 

Em anos anteriores, a premiação chegou a um milhão de francos suíços - cerca de R$ 1,7 milhão. Mas a crise forçou uma diminuição no valor destinado a cada cientista.

 

Homenagem

 

Os prêmios serão entregues em uma cerimônia marcada para o dia 19 de novembro, em Roma.

 

Uma semana antes, também em Roma, o matemático brasileiro receberá outra grande homenagem. Ele vai ingressar como membro estrangeiro na mais antiga academia de ciências do mundo, a Accademia Nazionale dei Lincei, fundada em 1603 e que teve Galileu Galilei como seu primeiro membro.

 

Em 2008, Palis recebeu o Prêmio Internacional de Ciências Matemáticas da mesma academia também por seu trabalho no Brasil.

 

DEFINIÇÃO

Sistemas dinâmicos costumam ser representados por sistemas de equações cujo estado evolui com o tempo. Podem ser usados, por exemplo, para estudar a órbita dos planetas.

 

ANOS ANTERIORES

 

2009

Venceram o prêmio: o inglês Terence Cave (história da literatura), o alemão Michael Grätzel (ciência dos materiais), a inglesa Brenda Milner (neurociência cognitiva) e o italiano Paolo Monti (história da ciência)

 

2008

A homenagem coube ao italiano Maurizio Calvesi (história da arte), ao americano Thomas Nagel (filosofia moral), ao australiano Ian Frazer (medicina preventiva) e ao americano Wallace Broecker (climatologia)

Mais conteúdo sobre:
Matemática Fundação Balzan Impa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.