Matemática é a mais difícil no terceiro dia de Fuvest

Candidatos dizem que a prova cobrava muitos cálculos e exigia atenção dos vestibulandos

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

05 Janeiro 2010 | 17h32

Ao fim do terceiro dia da segunda fase da Fuvest, candidatos que tiveram entre as específicas, as questões de matemática eram as mais difíceis. Hoje as provas cobraram conteúdos de disciplinas específicas, de acordo com a carreira escolhida.   Para Mariana Serroni, de 20 anos, candidata a uma vaga em Engenharia Florestal, com específicas de biologia, química e matemática, as questões que envolviam conceitos de trigonometria, geometria analítica e espacial, e análise combinatória estavam trabalhosas. "Tinha muita continha, estava bem complicada."   Quem também estranhou as questões de matemática foi Pedro Bonecker, de 19 anos, candidato a Direito. A disciplina passou a compor o mix de específicas neste ano, ao lado de geografia e história, que já eram exigidas em vestibulares anteriores. "Matemática estava complicada, mas geografia e história eu gostei." Entre as questões destacadas por ele, há uma sobre o Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com o candidato, era necessário traçar um comentário sobre o poder de governantes de países frente a grandes instituições internacionais.   De amanhã até sexta-feira, alguns candidatos ainda participam de testes de habilidades específicas. Em Artes Cênicas (bacharelado e licenciatura), haverá provas nos dias 6 a 8; em Audiovisual, no dia 8; em Arquitetura e Design, de 7 a 8. No dia 8 há também a específica de Arquitetura no câmpus São Carlos.   Leia mais:  Obama e crise do petróleo caem no último dia de Fuvest   Prova do segundo dia da segunda fase deixou candidatos nervosos para o último dia  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.