Divulgação/Instituto Tim
Divulgação/Instituto Tim

'Matemática deve ser bonita, e não chata'

Criadores do Círculo da Matemática, Bob e Ellen Kaplan explicam que disciplina é ensinada por quem geralmente tem medo do tema

Entrevista com

Bob Kaplan e Ellen Kaplan

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

01 Novembro 2015 | 03h00

Professores da Universidade de Harvard e criadores do Círculo da Matemática, abordagem que incentiva o aprendizado lúdico e interativo com as crianças, Bob e Ellen Kaplan defendem aulas mais desafiadoras e envolventes. Em entrevista ao Estado, o casal diz que o segredo é mostrar aos alunos que não existe só uma resposta certa, mas várias. "A Matemática é um mundo maravilhoso a ser explorado", afirma Bob. 

Por que é tão difícil ensinar Matemática?

BOB: Não é só uma ciência, é uma arte, que tem sua própria personalidade. É um prazer, um divertimento. A Matemática é nossa maneira de falar com o mundo, falar sobre o mundo e falar para o mundo, ou seja, uma linguagem. O que acontece é que a Matemática é ensinada por pessoas, geralmente, com muito medo da disciplina. O que eles ensinam bem é o próprio medo. Eles pensam que só existe uma resposta certa. Nos últimos três mil anos, o que descobrimos é que não sabemos nada. Esse é o nosso diálogo. Falar com pessoas mais novas e menores, que se tornam nossos colegas na exploração desse mundo maravilhoso. Matemática deve ser bonita, e não chata.

Quais são os principais erros que os professores cometem em sala de aula?

ELLEN: Um dos erros mais comuns é a expressão nos rostos dos professores. Eles parecem assustados. Quando aparentam estar apavorados, estudantes sabem que estão com problemas. Assim, as crianças não prestam atenção na conversa. Apenas pensam que estão em um terreno perigoso, em que é melhor ficar quieto. Em um bom diálogo, deve ter aqueles que comentam, aqueles que discordam. Nas classes de Matemática, é comum que o professor faça a pergunta e todos fiquem olhando para o chão, sem querer responder. 

BOB: Muitos dos professores fazem os alunos memorizarem. Se eles não entenderem, não adianta decorar. E, para ser um bom professor, você precisa de duas coisas. Uma delas, claro, é saber Matemática. Mas também deve se lembrar de como é ser uma criança. Eles têm, por exemplo, um tipo diferente de concentração. 

Por que é importante focar nos alunos bem novos para ensinar Matemática? 

BOB: Quanto mais novos, melhor. Assim, cria-se o prazer da invenção. Nessa fase, a criança desenvolve a autoconfiança. É possível mostrar que não faz mal cometer erros. 

ELLEN: Nessa época, eles também vão perceber que a Matemática é um jogo. A Geometria, por exemplo, é meu preferido: descobrir como as formas se encaixam. 

Hoje, a tecnologia chega às crianças cada vez mais cedo. Ela é útil para aprender Matemática?

BOB: É interessante lidar com dados, usar a tecnologia. Mas a melhor forma de aprender Matemática não é com as calculadoras, mas no diálogo com os próprios amigos.Você deve estar apto para olhar alguém, discutir suas ideias e dizer por que não concorda com elas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.