Marte brilha no céu em momento histórico

Esta é uma semana para ver a História acontecer. Todos os mortais terão a possibilidade de observar Marte à menor distância da Terra - 55,76 milhões de quilômetros - em 73 mil anos, algo que só voltará a acontecer no longínquo e incerto ano de 2287.As imagens de Marte que serão feitas nesta semana serão, por muitos anos, as principais imagens dos livros de ciências sobre o Sistema Solar e dos museus de astrofísica. E poucas vezes um estudante ou pesquisador pode ter o prazer de dizer que "estava lá" quando tudo aconteceu.O ápice da aproximação ocorre nesta quarta-feira. Especialistas afirmam que, com um telescópio amador, será possível enxergar as geleiras do pólo sul marciano - desde que o céu esteja limpo de nuvens e sem tanta poluição. Em todo caso, o fato é que o planeta vermelho terá neste dia especial um brilho superior ao de qualquer estrela no céu noturno.Não perca a chanceInstituições que têm planetário e universidades estão recebendo o público em geral para observações monitoradas. Os planetários de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul anunciaram programas para esta semana.Em São Paulo, a Escola Municipal de Astrofísica e o Planetário do Ibirapuera organizaram uma semana de palestras e observações do céu. Em parceria com o Sistema Anglo de Ensino, foi montado um programa de observação por telescópio para estudantes do ensino médio.Nesta quarta, a agenda prevê palestra sobre o fenômeno, das 20h00 às 21h00, e observação monitorada, até 23h00 - se o céu estiver nublado, haverá uma atividade alternativa. Na quinta, a programação será a mesma, só que com a palestra "Vida em Marte?". Com nuvens ou frio, é uma chance para não ser desperdiçada.Clique para ver o especial Marte Perto de Nós

Agencia Estado,

26 de agosto de 2003 | 11h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.