ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Márcio França anuncia pacote de R$ 450 milhões para a educação

Recursos serão destinados para formação docente, abertura de novos concursos e reforma de escolas

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 00h58

SÃO PAULO - O governador de São Paulo e pré-candidato à reeleição, Márcio França (PSB), anunciou nessa terça-feira, 3, um pacote de R$ 450 milhões para educação, com recursos para formação docente, abertura de novos concursos e reforma de escolas. Haverá retomada de programas estaduais da área, como a prova de valorização de mérito, mecanismo pelo qual se dá reajuste aos professores. Segundo ele, o valor foi retirado de programas internos da pasta de educação, entre eles transporte e merenda escolar, além de despesas com pessoal.

+ Currículo de Direito deve mudar para aproximar faculdade dos escritórios

No discurso, França assumiu tom político: citou os ex-governadores Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, todos tucanos, além de exaltar o próprio protagonismo na greve dos caminhoneiros, em maio, quando mediou as negociações entre os grevistas e o presidente Michel Temer.  

Uma das cidades beneficiadas pelo pacote de recursos é a capital, que receberá R$ 31 milhões em repasses do Estado. Presente no evento, o prefeito Bruno Covas (PSDB) fez discurso curto. "Não há relação política nem eleitoral". As obras de seis creches (Jabaquara, São Mateus, Cidade Dutra, Capão Redondo, Grajaú e Freguesia do Ó) serão retomadas com os recursos. O convênio foi firmado no ano passado. 

Questionado sobre o orçamento estadual para custear o pacote de educação, França afirmou que os recursos estão previstos. "Nada está fora do orçamento. Apenas a gente tira de um lado e põe no outro." Segundo o secretário da Educação, João Cury Neto, tudo foi feito "no limite daquilo da responsabilidade fiscal para não deixar endividamento para o Estado". 

Pacote

Será retomada a Prova de Valorização pelo Mérito,  política de promoção que não foi realizada pelo governo estadual em 2016 e no ano passado. O exame prevê reajuste de 10,5% ao salário base e será retroativo a 2016, considerando que nos dois anos não houve a prova. 

Foi anunciada ainda a contratação de 2.165 professores do 1° ao 5° ano, que desde 2014 aguardam ser chamados. A Secretaria da Educação também vai reabrir a seleção de bolsas de estudo de Mestrado e Doutorado para docentes da rede pública de ensino. A meta é abrir mil vagas entre 2019 e 2023.

O pacote prevê também a construção de duas creches em São Carlos e Bragança Paulista, além de uma escola em Ipeúna. O governo estadual vai comprar um ônibus escolar para 109 municípios paulistas.  Prédios escolares também serão reformados e os teatros de algumas unidades serão transformados em cinemas.

Mais conteúdo sobre:
educação São Paulo [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.