Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Mapas mentais fazem sucesso entre vestibulandos

O conceito é simples: trata-se de um resumo gráfico de conteúdos específicos

Gustavo Zucchi, Especial para O Estado

20 Outubro 2017 | 03h00

Não existe receita mágica para passar no vestibular. É necessário estudar (e muito) para conseguir superar a acirrada concorrência e garantir a vaga. Mas existem jeitos de estudar que podem facilitar a memorização das matérias. Uma maneira que tem feito sucesso na geração que não sai das redes sociais são os mapas mentais. O conceito é simples: trata-se de um resumo gráfico de conteúdos específicos. Coloridos e visualmente atraentes, não só ficam muito bem publicados no Instagram, como podem aumentar em até quatro vezes a curva de aprendizagem.

Quem garante é o especialista em mapas mentais, Felipe Lima, autor do livro Mapas Mentais e Memorização para Provas e Concursos e especializado em técnicas de aprendizagem acelerada. Lima explica que o esquema de memorização dos mapas funciona como uma pirâmide: na base está o que você lê, no centro o que você compreendeu e na ponta o que você vai botar no papel. 

“Assim fica fácil de lembrar o que foi mapeado”, explica. “Uma das maiores frustrações de quem estuda é pouco tempo depois não conseguir lembrar do conteúdo. Outra vantagem é que facilita a revisão. O tempo que você demora para rever o que foi estudado diminui”, afirma o especialista.

Na internet, a promessa de ajudar a gravar sem falhas o conteúdo atrai milhares de estudantes que buscam dicas de como fazer os mapas mentais. É o caso do perfil @futurojaleco, administrado pela jovem Brenda Camilla Sousa dos Santos. Aos 18 anos, ela se esforça para entrar em uma faculdade de Medicina. Hoje com 62 mil seguidores, conta que ela mesma conheceu os mapas por meio do Instagram, em 2015. “Como eu estava no último ano do ensino médio e em época de vestibular, pesquisei na rede social por perfis associados ao estudo”, conta Brenda. “Às vezes não acredito que tantas pessoas se inspiram em mim! Posto dicas, macetes, histórias, motivação.”

Aprendizado. Quem também faz sucesso na internet publicando mapas mentais é Gabriela Santana Barros, de 16 anos, dona da página @_medstudies, com 25 mil seguidores. Em comum com Brenda, ela tem o sucesso online e o sonho de fazer Medicina. Para a estudante, o resultado não é refletido na quantidade de fãs no Instagram, mas nos exercícios. “Vejo que estou evoluindo por causa dos mapeamentos. Eu faço os mapas depois que assisto às aulas. Aí depois eu vou para os exercícios. Se sinto que não aprendi algo, volto para o mapa que funciona como resumo”, explica. Para Gabriela, os mapas mentais não vão servir apenas para a época do vestibular. “Nossa vida acadêmica continua. Vou usar na faculdade também”. 

DICAS

+ Esqueça o perfeccionismo: ninguém começa sabendo. Mais importante que seu mapa mental ficar esteticamente bonito é conter as informações para você estudar.

+ Utilize a internet para se inspirar, mas faça mapas mentais próprios. É nesse processo que você vai memorizar o conteúdo. O que fica é um resumo.

+ Utilize letras grandes, ajudam na hora de lembrar. E foque no essencial: seis tópicos são suficientes, três na parte de cima, três na parte de baixo.

+ Não tem veia artística? Não é necessário. A melhor maneira de fazer os mapas mentais é no computador, utilizando o tradicional PowerPoint.

+ Seja persistente. Nem sempre o mapa mental vai ficar bem feito ou funcionará na hora do exercício. Não desista. 

+ O tempo médio para aprender como fazer um mapa mental que funcione para seu esquema de estudo é de cerca de um mês. Tenha isso em mente na hora do cronograma. 

Mais conteúdo sobre:
Instagram Ensino Médio rede social

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.