Manutenção de sigilo impediu revisão de provas, diz gráfica

Para gráfica que imprimiu Enem, erros estavam dentro de margem comum em processo industrial

Carolina Stanisci e Leandro Colon, Estadão.edu e O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2010 | 13h38

A gráfica RR Donnelley divulgou, em carta direcionada ao Inep, que a impressão das provas do Enem ocorreu "segundo previsão contratual, dentro dos mais rigorosos critérios de segurança e sigilo". E que, "nesse contexto, todos os materiais foram impressos rigorosamente dentro do cronograma pactuado e nenhum conteúdo foi desviado".

 

Segundo a gráfica, essa manutenção do sigilo do conteúdo é que impediu que fossem "feitas revisões", como a leitura do material impresso. O Inep, porém, teria, segundo o edital que rege o Enem 2010, que ter revisado todo o conteúdo.

 

Segundo o texto do edital, revelado pelo Estado, coube ao MEC, por meio Inep, entregar à gráfica a arte final para a impressão e indicar servidores públicos federais para checar, pessoalmente, as provas pré-impressas e, depois, a impressão final dos cadernos de questões e de respostas.

 

É isso que está escrito em um dos artigos do edital: "O procedimento de pré-impressão e aprovação das provas impressas ocorrerá em até 15 (quinze) dias úteis após o recebimento da Ordem de Serviço e dos meios magnéticos/ópticos, e se dará com a presença física de servidores do Inep, previamente designados para este fim, durante todo o tempo de produção das provas, e deverá ser feito em equipamento dedicado, exclusivo para tal fim, envolvendo computadores e equipamentos de impressão".

 

Segundo a gráfica, foi percebido, no processo, que 33 mil cadernos amarelos tiveram defeitos - dos quais 21 mil foram distribuídos. Mesmo assim, justifica a gráfica, o número de erros está dentro da margem de erro comum em gráficas, representando 0,003 sobre os quase 10 milhões de cadernos impressos.

 

A gráfica também afirmou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, tinha 1 milhão de cadernos para substituir, durante a aplicação do exame, o material com falhas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.