Manifestantes protestam contra recurso que eliminaria cotas

Integrantes do Movimento dos Sem-Universidade (MSU) abordaram o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), no início da tarde desta terça-feira, em protesto contra a possibilidade de o plenário da Casa votar um recurso contra o projeto que estabelece cotas nas universidades. O texto destina metade das vagas das federais a alunos de baixa renda ou provenientes de escolas públicas.O grupo parou Aldo Rebelo quando ele se dirigia ao gabinete da presidência depois de dar uma entrevista no Salão Verde. "A reserva de vagas não pode esperar", afirmou Sérgio José Custódio, coordenador do movimento. "O povo brasileiro marcou um gol. O recurso tenta colocar atraso na geração que está prestes a entrar na universidade." Ele tentou entregar a Rebelo o abacaxi, mas um segurança da Câmara pegou a fruta, evitando o constrangimento.Minutos antes, outro manifestante a favor das cotas havia interrompido a entrevista aos gritos para chamar a atenção de Aldo e pedir que a Câmara derrube o recurso para que o projeto siga para votação no Senado. O projeto, de caráter conclusivo, foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça. No entanto, houve recurso, instrumento usado com freqüência na Câmara, para que o projeto passe também pelo plenário. O recurso está na pauta.Como se trata de um tema polêmico, o próprio Aldo Rebelo já havia anunciado que submeteria a proposta ao plenário da Câmara. O projeto estabelece que metade das vagas das universidades federais será destinada a alunos de baixa renda ou oriundos de escolas públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.