Manifestantes encerram greve de fome na reitoria da Unesp

Integrantes da ONG Educafro haviam se algemado nas catracas de acesso ao prédio

Marcio Dolzan, especial para o Estadão.edu,

14 Novembro 2012 | 16h39

A greve de fome iniciada na terça-feira, 13, por cinco integrantes da ONG Educafro que se algemaram junto às catracas de acesso à reitoria da Unesp, foi suspensa na mesma noite. A direção da universidade havia entrado na Justiça no mesmo dia solicitando a manutenção de posse do prédio da reitoria. A Justiça acatou o pedido, mas os manifestantes acabaram se retirando por conta própria.

A decisão da ONG foi tomada após uma assembleia realizada por membros da entidade. Alguns defenderam a manutenção da greve de fome, mas a maioria optou por dar um "voto de confiança" e suspender o protesto, amparada em informações obtidas junto ao governo do Estado de que um plano de cotas está sendo finalizado. De acordo com a entidade, o protesto será retomado no dia 10 de dezembro - Dia Nacional dos Direitos Humanos - caso o plano de inclusão do governo não evolua. 

Em nota, a Unesp afirma que "não reconhece a ocupação como método de pressão para nenhuma reivindicação e manifesta sua satisfação pelo fato de a ONG Educafro ter optado pela retirada pacífica".

 

* Atualizada às 18h08

Mais conteúdo sobre:
UnespEducafro, Cotas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.