Manifestação de professores estaduais interdita Avenida Paulista

Cerca de mil pessoas participam da assembleia que discute a continuidade da greve na rede estadual de SP

Priscila Trindade, do estadao.com.br,

12 Março 2010 | 15h37

Professores e funcionários da rede estadual de ensino de São Paulo iniciaram por volta das 14 horas desta sexta-feira, 12, uma assembleia para discutir o prosseguimento da greve da categoria no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) na Avenida Paulista, no centro da capital paulista.   Veja também: Adesão à greve de professores de SP cresce, diz sindicato  Professores afirmam não acreditar na eficácia da greve    Aproximadamente 5 mil pessoas participam da reunião. Segundo informou a Polícia Militar, a ação é pacífica, mas de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a assembleia atrapalha o trânsito no local. As faixas da via, nos dois sentidos, foram interditadas às 15h15, causando 1,6 quilômetros de lentidão da Praça Osvaldo Cruz até a Rua Professor Otávio Mendes, no sentido Consolação. No sentido contrário, o trânsito tem 1 quilômetro de lentidão da Rua da Consolação até a Alameda Casa Branca.   A categoria entrou em greve por tempo indeterminado para reivindicar 34,3% de reajuste salarial e incorporação de todas as gratificações, extensiva aos aposentados. Segundo o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), o movimento grevista alcançou 60% de adesão em todo o Estado.   (Atualizada às 16h20)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.