Mais de 40 mil estudantes fazem prova na UFBA

Abraços fortes desejando aos candidatos sorte na prova, lágrimas nos olhos, muito nervosismo. Esse era o clima entre os estudantes que iam prestar vestibular para medicina na Universidade Federal da Bahia (UFBA), na manhã deste domingo, e estavam realizando a primeira fase do concurso que vai selecionar os novos alunos de 2007. São oferecidas 4.866 vagas em 82 opções de cursos no vestibular conjunto com a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB). Apenas para a UFBA são 40.486 inscritos.Antes da prova, as expectativas em geral eram as melhores. Ana Paula Santos, 18 anos, não esperava uma prova muito difícil, lembrando que esse poderia ser o último vestibular da UFBA. "A proposta da universidade é que o aluno saiba um pouco de tudo, exercendo a interdisciplinaridade". Ela concluiu o 3º ano na Escola Estadual Manuel Novaes, ano passado, e durante esse ano estudou no cursinho pré-vestibular Sagrado, com o objetivo de conquistar uma vaga no curso de História. Os portões foram fechados pontualmente às 7h50 simultaneamente nos 34 locais de prova de Salvador e nos 17 estabelecimentos localizados em 12 cidades do interior, onde existem campi da UFBA e da UFRB. Neste domingo foram realizadas as provas de Português e de Ciências Naturais. Na segunda serão feitas as provas de Matemática, Ciências Humanas e Língua Estrangeira. Os cursos mais concorridos, depois de medicina e direito, são psicologia e enfermagem.Na saída, Fernanda avaliou que a prova foi boa, com muitas questões recheadas de fatos atuais e cotidianos. "A interdisciplinaridade foi muito grande, foram cobrados variados assuntos interligados. A prova de Português explorou várias obras literárias e apresentou um texto atual e fácil, porém com conteúdo. Quem fez cursinho e aprendeu, sabe que caiu o que foi estudado", assegurou. Segundo Nelson Andrade, diretor do Serviço de Seleção, órgão responsável pela execução do vestibular, os problemas ocorrem quando os acompanhantes do vestibulando não atentam para o horário de fechamento do portão, ficando retidos dentro do local da prova. Também destaca o caso dos alunos que chegam atrasados e encontram o portão fechado à sua frente, onde permanecem insistindo para entrar. Pode até ocorrer desacato aos coordenadores, nessas situações.O número de estudantes ausentes foi 1042 em Salvador e 182 no interior. Isso significa um total de 3,7% de ausência, que diminuiu em relação ao ano passado, quando foi de 6,38%. Também ocorreu um alto número de ausência de fiscais, causando um remanejamento às pressas. "Faz parte do processo, mas já estávamos preparados para agir", lembra Andrade.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2006 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.