SERGIO CASTRO/ESTADÃO.
SERGIO CASTRO/ESTADÃO.

Mais de 1 milhão de candidatos do Enem não acessaram cartão

Em duas cidades de Santa Catarina as provas foram canceladas por causa das chuvas; portões abrem às 12 horas de sábado

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

23 Outubro 2015 | 16h26

BRASÍLIA - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou na tarde desta sexta-feira, 23, que 1.048.003 participantes do Enem ainda não acessaram o cartão de confirmação do exame, marcado para este fim de semana. Isso equivale a 13,5% dos candidatos inscritos. Os portões dos locais de prova abrem às 12 horas de sábado, horário de Brasília. "É preciso ficar atento, todos os anos candidatos se confundem por causa das diferenças de fuso horário. O que vale é o horário de Brasília." 

Mercadante anunciou que em duas cidades de Santa Catarina (Rio do Sul e Taió) as provas do Enem foram canceladas, em virtude das chuvas. Ao todo, 4.542 estudantes farão a prova em outra data, que deverá ser marcada nos próximos dias. "Todos já foram comunicados." Mesmo com a realização de prova em outra data para esses candidatos, todo o calendário do Enem está mantido. "Isso não trará nenhum problema para o calendário, seja de divulgação de resultado, seja de matrículas", disse. 

Por causa de chuvas e de problemas de estrutura, outros candidatos (3.528) tiveram o local de prova transferido. Ao todo, foram 11 escolas. "São situações distintas. No caso das duas cidades de Santa Catarina, a prova foi adiada. Nas demais, alunos farão normalmente, mas em outros locais." Os inscritos já foram avisados sobre a mudança. Mesmo assim, por segurança, veículos da organização do Enem ficarão a postos nos endereços inicialmente apontados para eventual deslocamento para o novo local de prova. "Mas fazemos um alerta. Sigam para o endereço correto."

Os portões do local de prova serão abertos às 12 horas e fechados às 13 horas. Os alunos poderão sair do local de prova somente duas horas depois do início do exame, mas sem o cartão da prova. Somente poderão sair com o caderno meia hora antes do término das provas. 

Mercadante afirmou não haver nenhum indício de que novas transferências de local tenham de ser realizadas, sobretudo na região Sul. "A chuva deu uma trégua. No caso das duas cidades, a maior preocupação era com o nível dos rios, que imaginamos não deve baixar muito rapidamente."

Questionado sobre a tranquilidade do exame, Mercadante afirmou: "Enem é uma coisa tão complexa que mesmo depois que acaba não termina. Precisa decantar."

Para candidatos, Mercadante afirmou: "O principal recado é tranquilidade. Quem estudou vai passar."

As medidas de segurança serão reforçadas neste ano. Equipes de inteligência fizeram um cruzamento de dados dos candidatos, para identificar riscos de fraude. A análise foi feita com base em tentativas de burlar a prova em anos anteriores. Situações de risco, de acordo com ele, estão sendo acompanhadas por equipes de inteligência.

Os portões dos locais de prova serão aberto às 12 horas e fechados, às 13h. O exame terá início às 13h30. Antes de chegar à sala, candidatos terão de passar por detectores de metais. Este ano, os aparelhos foram instalados também nos banheiros. Dezesseis centros Integrados de Trabalho serão instalados, para identificar eventuais problemas e acompanhar a logística e segurança. 

O Enem será realizado em 1.1723 cidades e em 211.980 salas. Todos os locais de prova, incluindo os banheiros, terão detectores de metais. "Duplicamos o número de aparelhos", disse. Vão trabalhar durante os dois dias de exame 915.290 pessoas, entre chefes de sala, fiscais e coordenadores. Serão realizados 50.220 atendimentos especializados, para pessoas com necessidades especiais.

As 16.600.734 provas impressas serão distribuídas para as salas por meio de 10.854 rotas. Ao todo, serão mobilizados 60 batalhões do exército, que vão fiscalizar 64.190 malotes de provas, equipados com cadeado eletrônico, o que possibilita o controle do horário de abertura de provas. De acordo com Mercadante, vão trabalhar 30.435 pessoas nas equipes de segurança.

Mais conteúdo sobre:
Enem Aloizio Mercadante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.