Mais da metade das crianças de até 9 anos já usou computador, mostra pesquisa

Na zona rural, a escola desempenha um papel mais importante para a inclusão digital

Alexandre Gonçalves, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2010 | 18h58

Cerca de 57% das crianças de 5 a 9 anos já usaram computador. É o que mostra a 1.ª Pesquisa sobre Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação por Crianças no Brasil, divulgada nesta quinta-feira, 7. O porcentual é superior à proporção geral da população com mais de 10 anos que teve acesso ao equipamento: 53%.

 

Mesmo assim, é muito inferior ao acesso observado em pessoas na faixa etária de 10 a 24 anos, que está em 85%. Para a equipe do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), responsável pelo estudo, seria conveniente aumentar a inclusão digital na infância, especialmente na escola.

 

"Os números mostram que ainda não conseguimos integrar as ferramentas digitais ao cotidiano das escolas públicas", aponta Juliano Cappi, analista de informação do Cetic.br.

 

Na zona rural, a escola desempenha um papel mais importante para a inclusão digital: 50% das crianças costumam utilizar o equipamento no estabelecimento de ensino, contra 38% na zona urbana.

 

A maioria das crianças (80%) usou o computador para fazer desenhos.

 

Internet

 

Quando questionadas sobre o uso da internet, apenas 23% das crianças afirmaram ter navegado alguma vez na rede. Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br, pondera que, para muitas pessoas, é mais fácil possuir um computador - mesmo um usado - que conectá-lo à rede.

 

"E muitas crianças não têm claro qual é a diferença entre usar um computador e navegar na internet", recorda Tatiana Jereissati, também do Cetic.br.

 

Quase 50% das crianças costumam acessar a internet em casa. Poucas (14%) utilizam a ferramenta na escola com regularidade e um número expressivo acessa a rede em lan houses (cerca de 22%). O artigo 80 do Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe a entrada de crianças e adolescentes desacompanhados em casas de jogos. Segundo Cappi, as lan houses estão incluídas na proibição do artigo 80, pois oferecem jogos de rede.

 

Para Hartmut Glaser, diretor executivo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), o dado sublinha a urgência de uma legislação para as lan houses.

Segundo a pesquisa, a imensa maioria das crianças (97%) utilizou a rede para jogar. Muitos (31%) têm e-mail.

 

O estudo também mostrou que o celular é a tecnologia mais difundida entre as crianças: 64% já usaram o aparelho e 14% possuem seu telefone. A maioria, no entanto, não está preocupada em fazer ou receber ligações. Cerca de 88% prefere usar o celular para brincar com os jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.