Maioria está perto da aposentadoria

Além dos jovens estarem fugindo da profissão, grande parte dos professores na ativa está para se aposentar. Segundo pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) no ano passado, 55,1% dos docentes brasileiros têm mais de 40 anos e estão perto da aposentadoria."A grande questão é justamente o envelhecimento da rede sem a renovação dos profissionais", diz o presidente do sindicato dos professores estaduais (Apeoesp), Carlos Ramiro de Castro. "Se não revertermos esse quadro, em dois ou três anos teremos problemas gravíssimos."Essa também é a previsão da presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Jussara Dutra Vieira. "Vamos ter dificuldades a curto prazo. Além das aposentadorias, é preciso lembrar que as turmas atuais têm alunos demais e, se elas fossem como deveriam, precisaríamos de cerca de 500 mil novos docentes", afirma. "Mas nossa categoria está entrando em extinção."Formação inadequadaPara tentar conter o problema, Jussara propõe uma série de debates com o MEC. "Além da questão quantitativa, precisamos discutir a formação dos novos professores, porque não adianta formar um monte de gente sem condição de lecionar."A pesquisadora e professora Maria Luiza Marcílio, do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial e da USP, compartilha a preocupação. "Quando um concurso aparece, a procura sempre é maior do que o número de vagas, mas precisamos avaliar se esses docentes estão preparados para dar aula."Para ela, o processo de formação está desorganizado. "Os novos parâmetros para formação do professor ainda não são usados nas universidades e precisamos nos mexer", diz. "Caso contrário, sofreremos com a falta de professores e com a falta de qualidade na preparação dos que resolverem seguir a carreira." leia também Eles não querem ser professores Salário baixo e ´caos´ na sala de aula

Agencia Estado,

24 de março de 2004 | 12h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.