Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Maioria dos alunos come todos os dias na cantina

Apesar da alta frequência, pais criticam a qualidade do lanche na rede particular

Luciana Alvarez, O Estado de S. Paulo

08 Outubro 2010 | 10h40

Pais de alunos de colégios particulares estão insatisfeitos com a qualidade dos alimentos servidos nas cantinas. Ainda assim, a maioria dá dinheiro para o filho comprar lanche na escola em vez de prepará-lo em casa, mostrou uma pesquisa feita pelo Ibope a pedido do grupo GRSA, empresa de refeições industriais. O motivo alegado pelos pais é a praticidade.

 

A proporção de estudantes que abandonaram a lancheira para comer exclusivamente produtos comprados na escola é de 58%; 80% compram lanche pelo menos uma vez por semana. Os números se referem a alunos do ensino infantil ao médio.

 

“A alimentação na escola facilita a rotina dos pais. O papel da escola também foi ampliado nessa área”, explicou Nelsom Marangoni, vice-presidente de desenvolvimento do Ibope. Na hora da escolha, as opções mais pedidas pelos alunos são salgados como coxinhas e esfirras, seguidos por sanduíches e pães.

A qualidade desses lanches, porém, é vista como um problema. Dos pais entrevistados, apenas 33% acreditam que a cantina atende às necessidades de seus filhos e só 41% pensam que os alimentos oferecidos são saudáveis e balanceados. O único resultado positivo foi na questão da higiene – 61% estão satisfeitos com a limpeza no preparo.

 

Para vencer a insatisfação, os responsáveis pela alimentação escolar devem abrir um canal direto de comunicação com os pais, recomenda Celia Martins, diretora da divisão de educação da GRSA. “Nas escolas que atendemos, estamos fazendo com que as mães participem da elaboração dos cardápios e promovendo palestras para os alunos”, diz.

 

É o que tenta fazer a coordenadora do ensino integral do Colégio São Luís, Ana Cristina Marra. “Quando o aluno gosta muito de algum prato, mandamos a receita para casa. Às vezes é a mãe, outras a própria criança quem pede.” A escola desenvolve projetos para conscientizar os alunos, como preparar pratos com hortaliças cultivadas no local.

 

Após uma avaliação dos pais, o colégio Oswald de Andrade contratou uma consultoria para alterar o cardápio. “Também vamos adotar a alimentação como um eixo temático do projeto pedagógico”, diz o coordenador de projetos, André Meller.

 

O Ibope ouviu 104 pais em 6 capitais. Pesquisa similar foi feita com gestores e alunos do ensino médio e superior.

Mais conteúdo sobre:
CantinaAlimentaçãoEscola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.