Maior evolução dos estudantes brasileiros foi em matemática

Disciplina registrou o maior crescimento, passando de 334 pontos na edição de 2000 para 386 em 2009

Agência Brasil

07 Dezembro 2010 | 13h59

A participação do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) registrou um avanço importante na última década. A prova é aplicada a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e avalia o conhecimento de estudantes de 15 anos de idade em ciências, leitura e matemática. Nessa última disciplina foi registrado o maior crescimento: de 334 pontos na edição de 2000 para 386 em 2009.

 

Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, uma das explicações para o avanço dos estudantes em matemática é a consolidação e popularização da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). Criado em 2005, o concurso contou neste ano com a participação de 19,6 milhões de alunos. “Eu era cético quanto ao impacto das olimpíadas no desempenho, mas já existem estudos que comprovam essa relação”, disse o ministro.

 

Apesar da melhoria no desempenho dos alunos, a nota de matemática ainda é a mais baixa entre os componentes avaliados pelo exame. Em leitura, a nota passou de 396 para 412 pontos e em ciências, de 375 para 405. Ainda que as médias do Brasil tenham evoluído, dentro de uma escala de 1 a 6 estabelecida pela OCDE, o país ainda ocupa o nível 2 - em média, os países-membros da OCDE estão entre os níveis 3 e 4.

 

O relatório da avaliação mostra ainda que os meninos têm melhor desempenho em matemática do que as meninas: 394 pontos para eles, contra 379 pontos para elas. Mas as estudantes do sexo feminino são melhores em português (425) do que os homens (397). Em ciências, os resultados foram semelhantes, com uma diferença de três pontos a mais para eles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.