Lula volta a defender importância da educação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva concentrou seu discurso na área de educação, durante cerimônia de lançamento da pedra fundamental do campus da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), no município paulista de Sorocaba.No discurso, Lula observou que a política governamental para o setor de educação tem como objetivo preparar o Brasil para se transformar numa potência mundial. "Nada é mais sagrado do que a elevação do conhecimento para disputar o mercado mundial", disse.Segundo ele, somente quando o Brasil substituir sua pauta de exportações de produtos primários, como café, suco de laranja, minério de ferro, por conhecimento, inteligência e maior valor agregado, o País atingirá um grau de desenvolvimento.ProUniLula observou que todas as universidades públicas de São Paulo (USP, Unicamp, Unesp e Ufscar) contam com 91 mil alunos, enquanto que, no mesmo Estado, o ProUni garantiu 64 mil vagas, em 14 meses. "São vagas criadas para estudantes da periferia, que estudaram em escola pública e sem condição de passar no vestibular de uma universidade federal ou de uma USP ou de uma Unicamp", declarou.Segundo ele, o programa abriu espaço para aqueles estudantes que conseguiram passar no vestibular de universidades privadas e não tinham condições de pagar mensalidades, o que resultava, de acordo Lula, em desesperança para estes estudantes.Ele observou que o ingresso de um aluno na universidade se transforma num "encaminhamento" da pessoa para evoluir socialmente em sua vida.Formação Lula acrescentou que a formação universitária é, sobretudo, importante para as mulheres. Isso porque, na visão do presidente, boa parte das mulheres é agredida por seus maridos, por não trabalhar e depender financeiramente da renda do marido. "Uma mulher com formação superior consegue seu próprio trabalho, ganha o seu salário e não aceita desaforo do seu marido", opinou.Ao defender mais uma vez a política pública de educação, Lula disse que o governo federal está assumindo 18 centros tecnológicos de ensino em São Paulo, porque as organizações governamentais, prefeituras e o Estado não têm condições financeiras de arcar com os custos.Lula deixou o município de Sorocaba, seguindo de helicóptero para Salto, também no interior paulista, onde visitará as futuras instalações do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) e assinará convênios para a construção de unidade.

Agencia Estado,

13 de abril de 2006 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.