Lula no Chile diz que sonha criar ´Universidade do Mercosul´

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira, 26, em discurso na escola pública República del Brasil, nesta capital, que tem o sonho de construir uma "Universidade do Mercosul". Ao lado da presidente do Chile, Michele Bachelet, e do ministro da Educação do Brasil, Fernando Haddad, Lula disse que considera muito importante o Programa de Desenvolvimento da Educação, que ele anunciou em Brasília na terça-feira, 24."Temos o sonho, há algum tempo, de construir uma Universidade do Mercosul. Mas é pouco. É preciso criar várias universidades latino-americanas, onde os nossos jovens possam transitar pelo continente (sic)", disse Lula a uma platéia de 450 estudantes, da pré-escola ao segundo grau, que o saudaram cantando os hinos nacionais do Chile e do Brasil e agitando, com entusiasmo, bandeiras dos dois países."Se conseguirmos construir universidades em que jovens pobres oriundos de escolas públicas possam estudar, a América do Sul viverá uma situação muito melhor", afirmou Lula. E, voltando-se para Bachelet, acrescentou: "Antes de concluir os mandatos, espero que possamos tornar realidade este plano. Nós somos o presente, e eles, o futuro."Ao falar do Programa de Desenvolvimento da Educação, Lula disse que ele tem o objetivo de criar condições, no Brasil, "para que o ensino, desde ´niños´ de três a quatro anos até a universidade, possam receber educação de qualidade."Lula disse que, no discurso de integração latino-americana, "falta alguma coisa, algo não está completo, como, por exemplo, o intercâmbio dos estudantes." Ele deu como exemplo o intercâmbio entre Chile e Brasil, dizendo que praticamente não existe, pois ele se dá mais entre Brasil e Europa e Chile e Europa do que entre Chile e Brasil. Segundo o presidente brasileiro, a educação é que vai consolidar o processo de integração e permitir um intercâmbio maior entre os países na área de educação. "É isso que vai consolidar. Mas, certamente, a minha idade não me permitirá ver o que vai acontecer daqui a 30 anos."

Agencia Estado,

26 de abril de 2007 | 14h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.