Lula inaugura novos prédios da UFSCar em Sorocaba

Em seu discurso, presidente diz que investimento em educação mudou paradigma da desigualdade no País

Agência Brasil

20 de agosto de 2010 | 14h25

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, 20, que o investimento em educação mudou o “paradigma da desigualdade” do País. De acordo com ele, a melhor distribuição de recursos entre as Regiões brasileiras fez com que áreas reconhecidas por indicadores sociais negativos, como o Nordeste, melhorassem sua participação na geração de conhecimento.

 

“O Sul e o Sudeste até dias atrás formavam 65% dos doutores do País. O Nordeste formava 1,3%. Hoje, tem 9,7%”, disse o presidente, em discurso durante inauguração de novas instalações do câmpus da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em Sorocaba, a 90 quilômetros da capital paulista.

 

Lula disse também que a transformação social no Norte e Nordeste é o benefício mais importante da abertura de novas universidades e escolas técnicas nas Regiões. “O que importa é que a gente está mudando o paradigma, tornando o país um pouco mais igualitário.”

 

A UFSCar está instalada em Sorocaba desde 2006. Em 2008, a universidade inaugurou seu primeiro prédio próprio na cidade. Nesta manhã, o presidente Lula e o governador de São Paulo, Alberto Goldman, participaram da cerimônia de inauguração de novos prédios da instituição.

 

Com as novas estruturas, a UFSCar passa a ter 17 salas de aula e 15 laboratórios em Sorocaba, além de um restaurante, vestiários, quadras e salas para o departamento administrativo. Ao todo, são 13 mil metros quadrados de área construída em uma terreno de 70 hectares, doado pelo prefeitura.

 

Simultaneamente à inauguração da UFSCar, o ministro da Educação, Fernando Haddad, inaugurou o câmpus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Curitibanos (SC). Em cerimônia transmitida em telão instalado no câmpus da UFSCar de Sorocaba, Haddad afirmou que o governo federal vai construir 134 campi de universidades federais até 2012 e alcançar pelo menos mil municípios brasileiros com programas de expansão do acesso ao ensino superior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.