Lula diz que "o diploma é o sonho de todos"

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu-se, pela manhã, com reitores de universidade federais. O governo lançou, nesta quinta-feira, o projeto de reforma universitária, que segue ao Congresso. "Eu, que não tenho diploma, quero deixar uma universidade com qualidade para os filhos da classe trabalhadora", declarou Lula aos reitores. "O diploma é o sonho de todos."Lula voltou a afirmar que manterá os investimentos no ensino superior, com a construção de novos campus e a melhoria do orçamento para as instituições. "Somos companheiros. Podem ter a certeza que vocês têm um companheiro aqui, e contem sempre comigo para essa grande batalha da educação", afirmou. O presidente brincou com os reitores. "Olha, vocês estão em vantagem em relação a mim, pois podem chegar à Presidência, e eu não posso ser professor nem reitor", afirmou. Lula e o vice-presidente José Alencar, que também esteve nos encontros, ressaltaram que, até pelo fato de não terem formação superior, querem deixar como "herança" para a sociedade o fortalecimento da universidade pública. Sem citar a candidatura à reeleição, Lula deixou claro que quer o apoio da comunidade acadêmica. Ele ouviu, atentamente, por quase duas horas, em dois encontros separados, os dirigentes de estabelecimentos de ensino superior, segundo interlocutores que participaram das reuniões.ReformaNo lançamento do projeto de reforma universitária, o presidente disse que um dos objetivos da proposta é garantir que alunos pobres tenham condições de concluir a faculdade. "Sabemos que o sistema público de ensino deve ser um instrumento efetivo de eqüidade social. E isso se faz com a inclusão e o apoio de grupos menos favorecidos na escola", disse o presidente, citado pela Agência Brasil. O ministro da Educação, Fernando Haddad, mostrou-se confiante em que os interesse políticos dos parlamentares não irão atrapalhar a apreciação da proposta de reforma. "Por todo o comportamento que Senado e Câmara tiveram até aqui, tenho a convicção absoluta que os deputados e senadores, independentemente de partidos políticos, contribuirão enormemente para o aperfeiçoamento das medidas", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.