Lula anuncia controle digital de frequência escolar

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta quinta-feira que o governo pretende implantar em 2005 um projeto "revolucionário" para controlar a frequência de estudantes nas escolas por meio de registro digital, como forma de atacar a evasão escolar. "Com isso, o gestor público não só terá melhores condições de planejamento, como também de intervenção imediata nas escolas que apresentem deficiências determinantes de baixa frequência", disse.Lula já recomendou ao ministro da Educação, Tarso Genro, que, dentro de 20 dias, apresente o anteprojeto para que os prefeitos, governadores e o próprio presidente da República possam saber quantos alunos estão comparecendo às escolas.Diante de educadores de todo o mundo, que participam do 4.º Congresso Mundial da Internacional da Educação, em Porto Alegre, Lula destacou a necessidade de reforçar os investimentos na educação, criando condições aos países em desenvolvimento de competir com os países desenvolvidos.Segundo ele, nenhum País dará um salto de qualidade sem antes ter investido no setor. "Ainda hoje para muita gente quando se fala em educação se fala em gasto, como se gastar dinheiro em educação fosse gastar dinheiro em outra coisa menos importante", afirmou."Qualquer centavo que seja aplicado na educação tem que ser entendido pelos governantes do mundo inteiro como investimento no futuro das novas gerações e no futuro do País".Para uma platéia de sindicalistas, já que a Internacional da Educação é formada por sindicatos de professores, tendo 29 milhões de filiados em todo o mundo, o presidente ressaltou estar feliz por abrir o Congresso que se realizará até dia 26 deste mês.Ele lembrou que, como sindicalista, passou parte de sua vida exigindo algumas coisas das autoridades que governavam o País, mas que, agora, como presidente da República, tem a oportunidade de tornar realidade os sonhos."Os sonhos que os países do mundo em desenvolvimento possam se preparar para competir com o mundo desenvolvido e serem exportadores de conhecimento e não apenas de produtos in natura e de matéria-prima", completou o presidente que, em discurso, apresentou dados das ações de seu governo no setor educacional chamando atenção para os programas Brasil Alfabetizado e Universidade para Todos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.