Localização da escola interfere na qualidade do ensino, aponta pesquisa

Projeto pedagógico e a direção da unidade também podem fazer a diferença no resultado

Agência Brasil

10 Agosto 2010 | 10h38

Pesquisa do Movimento Todos pela Educação mostra que escolas de uma mesma rede, seja ela estadual ou municipal, podem apresentar diferentes níveis de qualidade de ensino, mesmo quando o município ou o Estado atinge bons resultados em avaliações como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

 

Para a secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Maria do Pilar Lacerda, essa realidade é comum principalmente nas grandes cidades. Escolas em regiões periféricas sofrem mais com problemas sociais e de violência que afetam o desempenho dos alunos.

 

“Há uma problemática muito específica nas grandes cidades que são as periferias. E é bom lembrar que a desigualdade social tem um impacto muito grande no desempenho da escola”, afirma Maria do Pilar.

 

Na avaliação do conselheiro do Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos, além da localização, outros fatores podem influenciar no desempenho da escola em avaliações, ainda que o investimento por aluno dentro de uma rede seja semelhante. Ele acredita que o projeto pedagógico e a direção da unidade podem fazer a diferença no resultado.

 

“Ja vi situações de escolas que ficam no mesmo bairro, eram separadas apenas por um muro, e uma tinha um resultado excelente e o da outra era pífio. A diferença é que em uma delas havia o trabalho de um gestor que tinha liderança entre os professores e se articulava com a comunidade”, compara Neves Ramos.

 

Maria do Pilar recomenda que os secretários de Educação, ao identificarem as escolas “mais frágeis” do ponto de vista educacional, desenvolvam uma política específica para aquelas unidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.