Liminar suspende aulas em faculdade de Rio Preto (SP)

Uma liminar da Justiça do Trabalho causou a suspensão das aulas na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) e, nos próximos dias, poderá prejudicar o atendimento de 10 mil pessoas nos ambulatórios do Hospital de Base (HB), da faculdade, e em três Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. A liminar, do juiz da 1ª Vara do Trabalho de Rio Preto, Alessandro Tristão, afastou 107 funcionários cedidos pela Funfarme, fundação que controla a faculdade, mantida pelo governo do Estado. A medida afastou professores e médicos que não são concursados, e que teriam de coordenar o atendimento feito pelos alunos nos ambulatórios. Também foi afastado pessoal administrativo contratado sem concurso público. A direção da Famerp e do HB conseguiu contornar parte do problema fazendo remanejamento e estendendo as horas de trabalho dos funcionários, para evitar a suspensão do atendimento ambulatorial. Mesmo assim, os 649 alunos da faculdade não puderam assistir às aulas. Pesquisas também foram paralisadas. A Famerp espera recorrer da decisão.

Agencia Estado,

01 de março de 2007 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.