Líderes grevistas rejeitam proposta de reitores

Lideranças de docentes e funcionários em greve na Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista (Unesp) convocaram para esta terça-feira uma assembléia para se posicionar oficialmente sobre a proposta do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), que insistiu no reajuste salarial zero.A presidente da Associação dos Docentes da Unicamp (Adunicamp) e professora titular do departamento de Pediatria, Maria Aparecida Afonso Moysés, disse que "a greve deve ser mantida" porque "a proposta é inaceitável".O Cruesp apresentou um plano de aplicar reajuste no final do ano a partir do excedente de arrecadação estadual, acima do valor de R$ 32,8 bilhões. "Eles propuseram um valor que está R$ 1,5 bilhão acima das mais otimistas estimativas de arrecadação, ou seja, um reajuste zero definitivo", disse a professora.Ela comentou que, inicialmente, os reitores tinham proposto repasse a partir de arrecadação superior a R$ 33,5 bilhões. "Melhoraram um pouquinho, mas continuou muito ruim", alegou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.