Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Leia a íntegra do parecer que permitiu a retirada de alunos

Gestão Alckmin se baseou em documento de procurador após consulta do então secretário Alexandre de Moraes, hoje ministro

Felipe Resk e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

13 Maio 2016 | 13h48

SÃO PAULO - Mesmo sem dispor de decisão judicial, a Polícia Militar do Estado de São Paulo desocupou na manhã desta sexta-feira, 13, três diretorias de ensino e o prédio da Escola Técnica de São Paulo (Etesp), no Bom Retiro, na região central da capital paulista. Para isso, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) se baseou em parecer da Procudoria-Geral do Estado (PGE) que orientou as secretarias a desocuparem prédios públicos tomadas por alunos.

O parecer foi dado pelo procurador-geral, Elival Ramos, após consulta feita pelo então secretário estadual da Segurança Pública, Alexandre de Moraes - atualmente ministro da Justiça e Cidadania. Confira a íntegra do documento:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.