Kirchner encerra greve de professores

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, mostrou nesta terça-feira qual será seu estilo de governar. Kirchner foi pessoalmente à Província de Entre Rios para negociar o fim da greve dos professores que já dura três meses e impediu o início do ano letivo. Kirchner, que desembarcou na província horas depois de uma frustrada negociação com o sindicato da categoria, conseguiu a assinatura de um acordo entre o governador de Entre Ríos, Sergio Montiel, e a presidente da Central de Trabalhadores da Educação da República Argentina (CTERA), Marta Maffei.Pelo acordo, o governo Federal pagará a dívida salarial dos professores e o governo provincial se compromete a pagar sem atrasos os salários mensais. A dívida que Kirchner assumiu é de 84 milhões de pesos, que deverão ser pagos dentro de um prazo de 10 dias. As aulas terão início na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.