Justiça manda USP Leste suspender aulas e obras por risco de explosão

Liminar determina que atividades sejam transferidas para outro local no prazo máximo de 30 dias a partir de notificação

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

21 Novembro 2013 | 16h36

SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo determinou nesta quinta-feira, 21, a suspensão das aulas e das obras de ampliação no câmpus Leste da Universidade de São Paulo (USP). As atividades deverão ser transferidas para outro local no prazo máximo de 30 dias a partir da notificação da instituição. Já a ampliação do centro deve parar imediatamente. A decisão é liminar - em caráter provisório - e cabe recurso.

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE) entrou com uma ação civil pública por causa de contaminação do terreno da unidade. A decisão, da juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública Laís Helena Bresser Lang Amaral, foi concedida para assegurar "a integridade física das pessoas".

"Desde o ano de 2005, vem sendo apurados danos ambientais no imóvel que abriga a Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH). Tais danos têm suas origens pelo depósito de elementos contaminantes, por obras de dragagem do Rio Tietê, representando grave risco à integridade física dos alunos e demais pessoas que transitam pelo local (vida e saúde). Há inclusive risco de explosão, pela existência de gás metano", afirmou a magistrada. A decisão prevê também multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Mais conteúdo sobre:
usp leste metano gás

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.