Justiça Federal ouve testemunhas sobre o vazamento do Enem

O vazamento da prova foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo em 2009

Solange Spigliatti, Central de Notícias

02 Setembro 2010 | 15h30

Teve início por volta das 14 horas desta quinta-feira, 2, uma nova audiência para ouvir mais cinco testemunhas no processo que apura o vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ocorrido no ano passado. 

 

A audiência é presidida pelo juiz federal Nino Toldo, na 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo, a portas fechadas, pois o processo tramita sob segredo de Justiça. Novas audiências estão previstas para os dias 22 e 23 de setembro, quando serão ouvidas testemunhas de defesa e realizados os interrogatórios dos acusados. 

 

A primeira audiência do caso ocorreu em 18 de agosto passado, com o juiz Márcio Rached Milani, da Justiça Federal de São Paulo, que ouviu quatro das 11 testemunhas escaladas. Entre as quatro testemunhas - todas de acusação - estavam o editor do Estado Sergio Pompeu e a jornalista Renata Cafardo. 

 

Os depoimentos foram acompanhados pelos réus - Felipe Pradella, considerado o mentor do vazamento; Marcelo Sena Freitas, Filipe Ribeiro Barbosa, Gregory Camillo e Luciano Rodrigues - e seus advogados, pela defesa do consórcio que organizava o Enem e por promotores. 

 

O vazamento da prova foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo, após dois homens tentarem vender a prova por R$ 500 mil.

 

A reportagem avisou o Ministério da Educação (MEC) do vazamento, e o Enem, que ocorreria em outubro, foi adiado para dezembro.

Mais conteúdo sobre:
enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.